Clínica Bernardi
Clínica Bernardi Cardiologia
Rua Marechal Deodoro, n. 772, andar 8., salas 81 e 82. Concórdia/SC CNPJ n. 80.675.978/001-92 Responsável Tecnico: Dr. Luiz Fernandes Bernardi Cardiologista. CRM/SC n. 2632

Hipertensão Arterial

05/01/2017

A hipertensão é uma doença comum?
Sim, a hipertensão é uma doença muito frequente, estima-se hoje que no Brasil mais de 30% da população geral tenha hipertensão (aproximadamente 60 milhões de pessoas!). Se olharmos para a população acima de 60 anos, estima-se que mais de 50% sejam hipertensos, e este número chega a 75% em pessoas com mais de 70 anos!

O que causa a hipertensão?
Na grande maioria dos pacientes, não existe uma única causa da hipertensão, elas são múltiplas, por isso falamos que a hipertensão é uma doença multifatorial. Os principais fatores que levam a hipertensão são os fatores genéticos (pacientes com familiares hipertensos tem risco maior de desenvolver hipertensão) e fatores ambientais, tais como alta ingesta de sal na dieta, obesidade, sedentarismo, e o próprio envelhecimento das nossas artérias. Contudo, existem algumas doenças que por si só podem levar a hipertensão, como por exemplo doenças renais, doenças da tireoide, doenças que levam a produção inadequada de alguns hormônios, entre outras. Importante lembrar que algumas medicações e o uso de algumas substâncias inapropriadas também podem elevar a pressão. 

Qual o perigo de ser hipertenso?
A pressão inadequadamente elevada com o tempo vai causando sérios danos as artérias e a alguns órgãos do nosso corpo. O coração é um dos órgãos que mais sofrem com a hipertensão. Pacientes hipertensos apresentam um risco muito mais elevado de infarto em virtude de lesões nas artérias do coração. Além disso, como o coração precisa bombear contra uma pressão mais elevada, a hipertensão também pode levar ao enfraquecimento do músculo cardíaco, ocasionando um quadro de insuficiência cardíaca e até mesmo arritmias. Além do coração, a hipertensão também pode ocasionar doenças cerebrais como o derrame ou AVC, doenças renais como a paralisação dos rins, doenças dos olhos como a cegueira e doenças das próprias artérias como dilatação da aorta. Em levantamento de 2001, 7,6 milhões de mortes no mundo foram atribuídas a hipertensão arterial!

“A hipertensão é um dos principais fatores de risco para doenças graves como o infarto do coração, o derrame cerebral (AVC), a falência dos rins e a cegueira”

Como sei se sou hipertenso ou não?
A hipertensão na maioria das vezes é uma doença silenciosa, ou seja, não causa sintomas. E é aí que mora o grande perigo, muitas vezes um indivíduo passa anos com a pressão elevada sem saber ou sem se importar porque simplesmente não sente nada, mas o seu organismo está sendo gradativamente afetado. Portanto, a única forma de detectar a hipertensão é através da medida da pressão arterial. Esta medida deve ser feita por um profissional de saúde qualificado, com um aparelho adequado e com o paciente em uma situação confortável em mais de uma ocasião. É importantíssimo diferenciarmos três situações: i) a pessoa que realmente é hipertensa; ii) a pessoa que apresentou pressão elevada somente num momento (exemplo: situação de estresse emocional e/ou físico), mas que não necessariamente é hipertensa; e, iii) a pessoa que teve a pressão arterial medida de forma errada. Lembrar que o diagnóstico definitivo de hipertensão sempre deve ser feito por um médico.

“A hipertensão geralmente é silenciosa, sua detecção é feita através da medida da pressão arterial”

Como posso prevenir a hipertensão?
A forma mais efetiva de prevenir a hipertensão é ter uma vida saudável. Dieta adequada com baixa quantidade de sal (menos de 5 g de sal por dia), atividade física regular, evitar sobrepeso e obesidade, consumo moderado de bebida alcoólica, evitar o tabagismo e consumo de substâncias prejudicais, melhorar a qualidade do sono e combater o estresse. 

Como devo tratar a minha hipertensão?
A hipertensão é uma doença que deve ser tratada por um médico. Em funçãoda evolução do nosso entendimento sobre esta doença e do avanço dos medicamentos, hoje a grande maioria dos casos de hipertensão são totalmente controláveis. O tratamento da hipertensão baseia-se em dois alicerces: i) tratamento não-medicamentoso, que consiste nas mesmas medidas para a prevenção da doença (manter uma vida saudável!). Muitas vezes somente o fato do paciente corrigir sua dieta, iniciar uma atividade física regular e perder peso já é o suficiente para controlar a pressão arterial; e, ii) o tratamento com medicamentos.

“Manter uma vida saudável é fundamental para a prevenção e controle da hipertensão”

Como funcionam os medicamentos para hipertensão e como devo tomá-los?
Hoje existe um arsenal enorme de medicamentos para combater a hipertensão. A escolha do melhor medicamento muitas vezes deve ser individualizada para cada paciente e, não raro, combinações de dois, três ou até mais remédios é necessário para o controle adequado da pressão, por isso é fundamental um acompanhamento médico. Os efeitos dos medicamentos para hipertensão duram em média entre 8 a 24 horas, portanto o seu uso deve ser continuo, respeitando os intervalos e as doses prescritos pelo seu médico. Um erro frequente é tomar o remédio da pressão somente quando ela está elevada, isso gera oscilações da pressão e não a mantém controlada o tempo todo. Os medicamentos contra a hipertensão são geralmente muito bem tolerados e seguros, no entanto o risco de efeitos colaterais sérios em alguns pacientes deve sempre ser considerado e discutido com o médico.

A hipertensão tem cura?
A hipertensão por ser uma doença crônica não é considerada uma doença curável, no entanto ela pode ser totalmente controlada com os tratamentos disponíveis e com a manutenção de uma vida saudável. 
“Hipertensão pode ser totalmente controlada se bem tratada”

Porque é importante controlar a hipertensão?
Inúmeros estudos publicados na literatura médica comprovam que o controle da hipertensão arterial reduz significativamente o risco das suas temíveis consequências, as doenças cardiovasculares. Quanto melhor o controle da hipertensão, menores os riscos.

Qual é a pressão ideal para mim?
O objetivo do tratamento da hipertensão é normalizar os seus valores, ou seja, manter a pressão abaixo de 140x90 mmHg. Valores mais baixos, entre 120x80 mmHg são ainda mais benéficos. No entanto, na população mais idosa, principalmente pessoas com mais de 75 anos valores de até 150x90 mmHg são considerados aceitáveis.

“O controle da hipertensão comprovadamente reduz o risco de desenvolver doenças cardiovasculares. O objetivo é manter a pressão em valores normais (< 140x90 mmHg)”

Como saber se minha pressão está controlada?
O controle da hipertensão deve ser feito com acompanhamento médico e através de medidas adequadas da pressão arterial conforme orientações do seu médico. Um erro muito frequente é o paciente que somente mede a sua pressão quando “não está se sentindo bem”. Um exemplo muito corriqueiro é o paciente medir a pressão quando está com uma dor de cabeça e constatar que ela está elevada, ficando com a impressão de descontrole da doença, sendo que geralmente é a própria dor de cabeça e o estresse emocional/físico da situação os responsáveis pela elevação da pressão. 

Porque minha pressão só fica elevada quando vou ao médico?
Este é o famoso efeito do avental branco, situação onde a pressão arterial fica elevada durante as consultas médicas devido principalmente a fatores relacionados ao estresse emocional frente a própria consulta médica. No entanto, antigamente imaginava-se que o efeito do avental branco fosse algo absolutamente benigno, hoje sabemos que estes pacientes são mais susceptíveis adesenvolver hipertensão de fato e possuem maior risco de doença cardiovascular do que aqueles que não sofrem do efeito do avental branco.

O que é o MAPA? Preciso realizar este exame?
MAPA é a abreviação de Medida Ambulatorial da Pressão Arterial. O MAPA é um exame onde um aparelho automatizado específicoé instalado no paciente com o objetivo de realizar diversas medidas da PA durante um período de 24 horas. O MAPA é um exame extremamente importante para confirmar o diagnóstico de hipertensão, ou afastá-lo, nos casos duvidosos, como por exemplo, na situação da hipertensão do avental branco. O MAPA também é útil em alguns casos para avaliar se a resposta ao tratamento da hipertensão está adequada. 

Como saber se meu aparelho de medir pressão é confiável?
Hoje é muito comum as pessoas terem o seu próprio aparelho de pressão digital. Existem inúmeras marcas no mercado, portanto é fundamental certificar se o seu aparelho tem o selo do Inmetro e esteja calibrado corretamente. Recomenda-se a calibração regular do aparelho com um técnico especializado conforme as recomendações do fabricante. Em média os aparelhos devem ser calibrados no mínimo 2 vezes ao ano, porém alguns modelos exigem calibração mensal. Além do mais, os aparelhos que medem a pressão no braço são mais confiáveis do que os de punho. Lembrar que a medida da pressão deve ser feita com a pessoa em repouso, na posição sentada ou deitada, estando o aparelho na altura do coração, o braço apoiado numa superfície e não estar com a bexiga cheia, não ter realizado atividade física nos últimos 60 minutos, não ter fumado nos últimos 30 minutos e não ter ingerido bebida alcoólica ou café.

#SaúdedoCoração
#ClínicaBernardi

Fonte: Clínica Bernardi